Decisões Importantes

Submitted by Dr. Roberto Silva on Tue, 02/22/2022 - 03:56

Tomar uma decisão pode ser algo muito sério na vida de uma pessoa. Quando se trata de pequenas decisões aprendemos a correr os riscos, mas quando se refere as decisões importantes é necessário ter atenção redobrada pois os resultados poderão mudar todo curso da vida.

Amor em dose dupla

Submitted by Dr. Roberto Silva on Wed, 01/26/2022 - 02:24

Amor em dose dupla é um tema cativante dentro dos relacionamentos. Algumas definições podem ser dadas a este tema e, em certo momento, parece ser difícil de aplicar. Porém, neste nosso quadro, queremos abordar este tema no sentido das duas direções a serem desenvolvidas na vida do indivíduo – Amor Próprio e Amor ao Próximo.
Em primeiro lugar - o Amor Próprio.
Ao contrário do que muitos pensam, amor próprio não é egoísmo e sim é o apreço nutrido por si mesmo. É a aceitação das suas características com seus erros e acertos; derrotas e conquistas; fracassos e sucesso.

Resolvendo os conflitos conjugais

Submitted by Dr. Roberto Silva on Sat, 08/17/2019 - 00:00

No casamento, mesmo havendo boa comunicação, haverá sempre algum desentendimento. As pessoas são diferentes, têm opiniões próprias sobre muitas coisas. Além disso, quando se casam, logo descobrem que os respectivos cônjuges não possuem todas aquelas qualidades que idealizaram e visualizaram antes do casamento. Então, tentam “mudar” o cônjuge. 

Acordo - A base para andar juntos

Submitted by Dr. Roberto Silva on Sat, 06/22/2019 - 00:00

Podem duas pessoas andarem juntas se não houver compromisso, acordo entre elas? 
O que podemos entender como acordo? Devemos entender como concordância, pacto, compromissos estabelecidos de forma clara entre as partes, harmonia no propósito, uma combinação, uma consonância, que talvez traduza melhor o que seja acordo, pois é manifestar o mesmo som, harmonia no que se toca e faz.

Afetividade na Vida Conjugal

Submitted by Dr. Roberto Silva on Wed, 05/22/2019 - 12:19

A falta da afetividade no relacionamento conjugal é a principal razão para uma crise no relacionamento. Por isso, o cuidado afetivo exige uma atenção contínua.
Quando um dos cônjuges ou os dois sofrem de carência afetiva, torna-se necessário trabalhar o lado individual para que ambos possam ter maior facilidade de expressar afeto um ao outro.

Diálogo

Submitted by Dr. Roberto Silva on Sat, 04/13/2019 - 00:00

A tarefa de construir o bem comum necessita, acima de tudo, de diálogo. Dialogar qualifica a capacidade humana de se dirigir ao outro, nas diferenças e nos parâmetros racionais das oposições. Permite também estabelecer uma relação com entendimento claro e decisões acertadas. Trata-se de prática que não oferece espaço para o ódio, vinganças e o aproveitamento injusto de oportunidades para obter ganhos na contramão do bem comum.

Companheirismo - A chave para o clima certo no casamento

Submitted by Dr. Roberto Silva on Sat, 04/13/2019 - 00:00

Ser um bom companheiro(a) no casamento não significa que precisamos ser um espelho do outro, isso é fazer o que ele(a) faz ou ser alguém sem personalidade.
No convívio conjugal precisamos demonstrar que estamos imbuídos do mesmo propósito de cultivar a felicidade. Apesar das diferenças de temperamento e de personalidade, comuns dentro do matrimônio, desejamos realizar o projeto de vida que também é aspirado pela outra pessoa.

Existe solução quando você não vê a saída

Submitted by Dr. Roberto Silva on Fri, 01/04/2019 - 06:29

Vivemos um momento de crise geral, e ela tem atingido a família. Parece que nos dias atuais tem sido cada vez mais difícil mantê-la unida. A família é o espaço intermediário entre o indivíduo e a sociedade, de forma que tudo o que o afeta vai repercutir na família e na sociedade, de modo que as tensões, problemas e crises afetam a família e seus membros. Família é um sistema social uno, composto por um grupo de indivíduos, cada um com um papel atribuído, e embora diferenciados, se consolidam como um todo, mesmo objetivo.

Quando o medo nos assalta…

Submitted by Dr. Roberto Silva on Fri, 01/04/2019 - 06:26

Sentir medo não é, necessariamente, algo errado. Todo ser humano tem quatro sentimentos básicos: raiva, medo, tristeza e alegria. Então, medo é um sentimento comum ao ser humano. No entanto, é preciso avaliar como o elaboramos, trabalhando-o de modo que ele não tome conta da nossa vida e a transforme em um desastre.